Sucesso em engenharia para estudantes no Laboratório de Robótica em Porto Rico

A NOSSA FUNDAÇÃO

Apoiando a próxima geração de inovadores

“Eu gosto de robótica porque me ajuda a limpar a mente e força-me a pensar mais e a ser mais criativa.”

Esta frase, de Leilanie de 14 anos, resume a satisfação que ela e outros 50 alunos encontraram no Laboratório de Robótica interactivo e pós-escolar, duas vezes por semana, pilotado pelo Clube de Meninos e Meninas de Porto Rico, em parceria com a New Fortress Energy.

PR Robotics Lab

Os instrutores do laboratório estão a envolver os alunos em divertidas experiências de aprendizagem de ciências, tecnologia, engenharia e matemática (CTEM) para fomentar o seu interesse e confiança na ciência e campos relacionados que são tão importantes para a nossa economia global e para a nossa vida diária. As disciplinas CTEM ensinam aos alunos não só como a compreender desafios complexos, mas também como resolvê-los de forma inovadora. Em todo o mundo, as mulheres e as minorias tendem a estar sub-representadas nos campos CTEM em constante expansão, e programas como o nosso Laboratório de Robótica são a chave para fechar essa diferença.

“Os participantes têm mostrado progresso na sua aprendizagem e interesse em descobrir mais, porque gostam do que estão a fazer,” diz Griselle Berrios, instrutora do Laboratório de Robótica. “Ao serem expostos à tecnologia, eles adquiriram um maior domínio do que é o computador e sua relação com a robótica, aplicada a um mundo real cheio de desafios a serem resolvidos. Foram sensibilizados para o desenvolvimento de cidades inteligentes e para as mudanças climáticas que o mundo enfrenta, tudo através de métodos de ensino divertidos.”

PR Robotics Lab

De acordo com o Departamento de Educação dos EUA, em 2016, menos da metade dos alunos da oitava classe da escola pública de Porto Rico eram considerados proficientes em ciência - por isso é especialmente gratificante que hoje, através do nosso Laboratório de Robótica, as tecnologias emergentes estejam agora a seduzir estes cientistas em desenvolvimento.

“A robótica ajuda-me a desenvolver o meu conhecimento e criatividade,” diz Yaheliz, uma participante de 16 anos de idade. “E também limpa a minha mente de problemas que eu tenho nesse momento. Dá-me uma oportunidade de entrar no campo da robótica. Eu divirto-me a construir robôs.”

Em 2020, os estudantes irão aplicar seus novos conhecimentos CTEM ao competir nas Olimpíadas Mundiais de Robótica, no Canadá. Mal podemos esperar para os aplaudir!