Hidrogénio "verde": a energia do futuro?

HIDROGÉNIO

Básico do hidrogénio

Quer se aperceba ou não, você - juntamente com todas as outras pessoas no planeta hoje - enfrenta um desafio urgente: como travar a mudança climática sem perturbar a economia energética global. Quer isso signifique apagar a luz ao sair da sala, conduzir um carro amigo do ambiente ou trabalhar para transformar as principais fontes de energia a nível mundial, cada um de nós tem um papel a desempenhar na resolução desta questão crítica.

Embora as tecnologias solar e eólica possam parecer a resposta óbvia, elas não conseguem fornecer a energia constante necessária para alimentar as nossas casas e empresas. Armazenar essa energia ainda não é uma opção; as baterias e outras soluções existentes não são suficientemente grandes ou financeiramente acessíveis para aproveitar a produção de energia renovável para satisfazer a procura de energia de pico quando o sol não brilha e o vento não sopra. O que precisamos é de uma solução economicamente viável que combine um combustível com emissões zero com uma tecnologia que possa preencher as lacunas inerentes e substituir totalmente os combustíveis fósseis.

Em resposta, há um novo esforço para incorporar uma fonte de energia que existe desde o início dos tempos: o hidrogénio (H).

O que é o hidrogénio?

O hidrogénio é o átomo mais pequeno e mais leve, a substância mais abundante no universo e a fonte de energia mais rica para as estrelas. Numa tabela periódica, você vai encontrá-lo no lugar n.º 1.

O hidrogénio puro ocorre na Terra apenas na forma molecular (H2) e é tipicamente encontrado em compostos como gás natural, biomassa, álcoois e água (H2O). Como a conversão destes compostos em hidrogénio puro consome energia, o hidrogénio é muitas vezes pensado como um portador ou meio de armazenamento de energia e não como uma fonte de energia em si mesmo. O mercado de hidrogénio produz actualmente cerca de 70 milhões de toneladas métricas por ano e espera-se que atinja 121 milhões de toneladas métricas por ano em 2026.1

Como é produzido o hidrogénio?

Enquanto o conceito de uma economia de combustível sustentável baseada no hidrogénio está apenas a começar a ganhar força, a tecnologia para a produção de hidrogénio tem estado em desenvolvimento desde o século XIX.

Hoje em dia, o hidrogénio é produzido comercialmente de uma de quatro formas. Três das soluções - reforma do metano a vapor (SMR), oxidação e gaseificação - requerem combustíveis fósseis. Na verdade, 95% do hidrogénio actualmente produzido é feito a partir de combustíveis fósseis.2

A quarta solução é a electrólise que, quando completada com energias renováveis, cria uma fonte de combustível com emissões zero: o hidrogénio verde, a solução que pode pavimentar o caminho para o nosso futuro verde.

Hydrogen

O que é a electrólise?

A electrólise utiliza uma corrente eléctrica para dividir as moléculas de água (H2O) em hidrogénio (H2) e oxigénio (O). Actualmente, a electrólise representa apenas cerca de 5% da produção global de hidrogénio, e a maior parte ainda utiliza gás natural ou outras fontes de electricidade convencionais.3 Para gerar hidrogénio puramente "verde", a electrólise terá de utilizar energias renováveis.

A boa notícia é que a tecnologia de electrólise pode ser facilmente combinada com os recursos eólicos ou solares para produzir hidrogénio. A utilização desse hidrogénio "verde" como complemento dessas fontes de energia intermitentes poderia tornar as energias renováveis mais práticas e economicamente viáveis, e até mesmo servir como um poderoso catalisador para a sua adopção generalizada.

Hydrogen

O que torna o hidrogénio "verde" óptimo para as energias renováveis?

Há anos que os especialistas sabem que o hidrogénio "verde" tem o potencial de armazenar energia renovável a longo prazo. Com avanços tecnológicos significativos nos últimos 50 anos, acreditamos que o hidrogénio "verde" pode finalmente ser o verdadeiro combustível do futuro.