Lançando o Zero: Wes Edens
Sobre o Hidrogénio Verde

HIDROGÉNIO

Zerando no hidrogénio verde

O nosso fundador, Wes Edens, estabeleceu uma meta agressiva de emissão zero para a New Fortress Energy. Ele sentou-se para responder a algumas perguntas sobre a mais nova divisão da NFE, Zero, e porque razão ele acredita que vale a pena explorar o hidrogénio renovável. Continue a ler para saber porque estamos a passar de uma situação de baixo carbono para uma situação sem carbono!

Wes Edens

P: Por que decidiu iniciar esta nova divisão da New Fortress Energy?

R: A nossa missão tem sido simples desde o início. Queremos reduzir as emissões e aumentar o acesso à energia em todo o mundo. Temos tido muito sucesso na construção de infra-estrutura de GNL e em levar um combustível mais limpo e mais acessível aos nossos clientes em mercados que dependem de combustíveis altamente poluentes à base de petróleo. Estamos a causar um impacto económico positivo ao mesmo tempo que reduzimos as emissões. Mas isso não é suficiente.

Com a humanidade a enfrentar uma crise existencial ligada às alterações climáticas, precisamos de passar rapidamente de uma situação de baixo carbono para uma situação de ausência de carbono. É por isso que criámos o Zero, para nos concentrarmos em fazer da nossa empresa o principal fornecedor de energia com zero emissões de carbono em todo o mundo.

P: Por quê o foco em hidrogénio renovável versus outras tecnologias de energia limpa?

R: Acredito firmemente que o hidrogénio vai desempenhar um papel importante num panorama energético de carbono zero. Simplesmente faz muito sentido. É o elemento mais abundante do planeta e pode funcionar em grande parte da mesma forma que os combustíveis fósseis podem funcionar para a energia, transporte e outras indústrias. É simplesmente uma questão de reduzir o custo do hidrogénio, ou implementar um verdadeiro imposto sobre o carbono, para que este possa substituir completamente os combustíveis fósseis. E, faz muito sentido para nós estarmos na vanguarda, dada toda a nossa experiência com infra-estruturas energéticas, energia, logística e financiamento. O potencial inexplorado é tremendo.

 

P: Não é demasiado caro hoje em dia substituir realmente os combustíveis fósseis?

R: É verdade que os custos de produção de hidrogénio renovável variam hoje entre $2,50 e $6 por quilograma. Esse é o custo da electrólise - a qual utiliza electricidade para separar a água, H20, em hidrogénio e oxigénio. O alto custo pode diminuir rapidamente devido ao custo da electricidade renovável, que continua a diminuir rapidamente. Vimos os custos da energia solar baixarem quase 90% e da eólica diminuir 40% na última década. Com as energias renováveis a continuarem a ficar mais baratas e mais aplicações para o hidrogénio verde a surgir, os custos continuarão a diminuir.

O que realmente precisamos é de $1 por kg de hidrogénio verde, o que equivale aproximadamente a cerca de $7 mmbtu de gás natural. Se conseguirmos reduzir o custo de produção de hidrogénio verde para 1 dólar, conseguiremos superar o gás e o gasóleo em praticamente todas as aplicações. Acredito que para que a verdadeira sustentabilidade seja alcançada, também é preciso ter rentabilidade.

 

P: Não é necessária muita energia renovável para produzir hidrogénio suficiente para substituir verdadeiramente os combustíveis fósseis?

R: É verdade. Mas muitas pessoas estão a pensar em energias renováveis de forma limitada. O que elas não compreendem é que já existe uma solução para armazenar energia renovável como um combustível que pode substituir todos os combustíveis fósseis poluentes - o hidrogénio verde. Não temos de ter medo de construir em demasia e de limitar o desenvolvimento da energia solar ou eólica, isso deve ser visto como uma forma de produzir hidrogénio. É muito mais escalável do que as baterias e acredito que os avanços no armazenamento e transporte virão mais rapidamente do que as pessoas esperam. Com o tempo vamos perceber que a demanda por energias renováveis é muito maior do que esperávamos, porque vamos precisar delas para produzir hidrogénio verde para centrais eléctricas, siderúrgicas, produção de fertilizantes, combustível para navios e tudo mais.

 

P: Quais são os próximos passos para a divisão Zero e a NFE com o hidrogénio verde?

R: Planeamos ter o nosso primeiro projecto-piloto de hidrogénio verde a funcionar este ano. Existem aplicações para o hidrogénio que podemos implementar muito rapidamente com muitos dos nossos clientes de menor escala, industriais e de transporte para ganhar experiência. O próximo passo será aumentar a nossa escala e tornarmo-nos numa das primeiras empresas a utilizar hidrogénio verde para fornecer energia.

O nosso objectivo a longo prazo para a NFE é tornarmo-nos o maior fornecedor independente de energia eléctrica do mundo e fazê-lo com energia carbono zero. E nós vamo-nos concentrar em superar as expectativas de todos e tentar fazer isso nos próximos dez anos.

Isso pode parecer excessivamente ambicioso. Mas esta é uma missão profundamente pessoal para mim e que quero que todos na nossa empresa partilhem. Queremos dar aos nossos filhos a oportunidade de herdar um planeta que se assemelha àquele em que tivemos a sorte de crescer. A incapacidade de lidar adequadamente com as alterações climáticas está a ter consequências assombrosas - extinções da vida selvagem, subida dos oceanos, refugiados climáticos, condições meteorológicas extremas são apenas algumas delas. Acreditamos verdadeiramente que o hidrogénio renovável pode desempenhar um papel significativo na reformulação do panorama energético a nível global para o melhor - e é por isso que estamos a colocar o nosso objectivo a um nível elevado.